quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Prefeitos tratam das Cidades Digitais no Triângulo Mineiro

Fórum aborda soluções para melhorar os serviços públicos por meio de investimentos em tecnologia
Gestores de cerca de 30 municípios participaram, nesta quinta-feira (03), do I Fórum de Cidades Digitais do Triângulo Mineiro, realizado na FIEMG - Regional Vale do Rio Grande, em Uberaba, pela Rede Cidade Digital (RCD) em parceria com a Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Rio Grande (Amvale) para tratar de inovações e como utilizar as Tecnologias da Informação e Comunicação no aprimoramento dos serviços públicos.


Além de compartilhar informações, soluções de mercado, políticas públicas e modelos em andamento nas localidades, os prefeitos Araxá, Conceição das Alagoas, Carmo do Paranaíba, Capinópolis, Iraí de Minas, Pratinha, Patos de Minas, Uberaba, Planura, Pirajuba e Sacramento foram homenageados por incluírem no planejamento investimentos em tecnologia para melhorar setores da administração municipal. Eles foram selecionados pela RCD a partir de iniciativas identificadas nas localidades e ainda aqueles que mais se destacaram por meio dos planos de governo protocolados no TSE no ano
passado.

De acordo com o diretor da RCD, José Marinho, é o momento, em especial neste primeiro ano de mandato, dos Executivos inserirem no planejamento estratégico ações para otimizar a gestão e o atendimento à população. “A tecnologia é transversal e precisa ser discutida por cada secretaria, em como melhorar os processos e facilitar a vida das pessoas. Não existe outro caminho para melhorar a vida das pessoas”, afirmou.

O evento também marcou o lançamento oficial na região de um edital do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), que prevê recursos para investimentos em diversas áreas, incluindo melhorias para a iluminação pública das cidades.
O gerente de Negócios para o Setor Público do BDMG, Emilio Rodrigues Botelho, também deu detalhes de como os municípios podem acessar a linha de crédito PMAT para modernização tributária e infraestrutura de cidade digital. “O foco principal é o georreferenciamento para aumento de arrecadação, mas com a tecnologia é possível gerar um cadastro gigante para fazer políticas públicas na Saúde e na Educação, por exemplo”. Já o edital do BDMG, conforme Botelho, envolve um montante de R$300 milhões disponíveis aos municípios. O prazo final para envio da carta-consulta é 11 de agosto.
Na opinião do presidente da Amvale e prefeito de Pirajuba, Rui Ramos, a Segurança Pública e a Saúde estão entre as principais áreas em que a tecnologia pode contribuir. “É um momento oportuno, todos interagindo com as experiências dos municípios, empresas e governo. São evoluções que têm que chegar e como foi dito aqui no evento quem não se atualizar vai ficar para trás”, comenta Ramos, que também é vice-presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM).

O prefeito de Uberaba, Paulo Piau, também frisou a importância das cidades investirem em tecnologia e na aplicação de inteligência na gestão para resolver os problemas das cidades.
Um dos grandes déficits de receitas, acrescenta ele, está justamente na pouca eficiência e controle dos gastos públicos. “A questão das cidades digitais nós estamos falando em demanda da sociedade, em facilitar a gestão. Acho que esse é o principal ponto”, disse o prefeito, alertando também para a necessidade dos municípios se organizarem regionalmente na execução de ações visando desenvolvimento socioeconômico.

Durante o Fórum, municípios apresentaram iniciativas que estão melhorando diversos setores da administração pública. São os casos de Araxá, Carmo do Paranaíba e Patos de Minas. Para o prefeito de Carmo do Paranaíba, César Caetano de Almeida Filho, as Prefeituras precisam entender a necessidade de integrar a comunicação com a comunidade. “Com pouco se faz muito e esse é o grande segredo das mídias tecnológicas. A comunicação tem que servir como instrumento de informação, mas ao mesmo tempo que se cria esse canal é necessário que se tenha estrutura física, material, humana e tecnológica para resolver o problema do cidadão com presteza e rapidez”.

Entre as ações, ele destaca a implantação de uma unidade Uaitec - Universidade Aberta Integrada, projeto fomentado pelo Governo do Estado por meio do Minas Digital. Segundo a diretora de Inovação Social e Ambiental da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Lívia Leão, o programa prepara a população, atendendo também a demanda da juventude atual, para as novas oportunidades que o setor de tecnologia oferece. “E sabemos ainda que tem um universo de pessoas que precisam acessar a internet de algum lugar. É um projeto que beneficia muito também as comunidades mais afastadas”, observa.

O Programa de Aceleração de Startups é outra aposta, de acordo com ela, para fomentar o ambiente de inovação do Estado. “Minas é um polo tecnológico riquíssimo. Estamos buscando conectar as informações e transformar o nosso Estado em ainda mais inovador”.
O I Fórum de Cidades Digitais do Triângulo Mineiro teve o patrocínio master da Algar Telecom, BDMG e Click Telecom; ouro da Exati, além do apoio estratégico da Vivver Sistemas, InvestCity e CHA Hotéis. Também apoiaram a iniciativa a Associação Brasileira de Internet (ABRANET), da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) - Regional Vale do Grande Rio e da Associação dos Municípios da Microrregião do Planalto de Araxá (AMPLA).

Comunicação RCD <comunicacao@redecidadedigital.com.br>
mprensa@redecidadedigital.com.br 


Postar um comentário